A Logística de Licitações como Diferencial Competitivo3

A Logística de Licitações como Diferencial Competitivo

A busca por diferencial competitivo é de grande importância para todas as empresas, principalmente para competir em um país continental como o Brasil.

A logística como estratégia tem sido um grande fator gerador de competitividade, reduzindo custos e agilizando a distribuição de produtos em diversos pontos de vendas. Mas o que a logística tem a ver com licitações públicas? Para participar de licitações, além de conhecimentos técnicos e jurídicos, é necessária a execução de diversas atividades logísticas como gestão de informações, processamento de pedidos, armazenagem e transporte.

Gestão da informação. Gerenciar o fluxo de informações é umas das principais atividades logísticas, o que não é diferente para quem participa de licitações. A informação é essencial. A empresa licitante precisa de informações para identificar onde há licitações abertas em seu setor, dados e disponibilidade do edital e como obtê-lo. Outros detalhes não menos importantes precisam de atenção como, prazos para cadastramento, protocolos de documentos e garantias, validade de documentos e certidões, informações sobre o órgão público licitante, entre outros.

Processamento de pedidos. Da mesma forma que se gerencia um pedido de compra de materiais ou produtos para estoque ou consumo, em licitações o processo logístico também é semelhante, considerando que as informações, escritas ou faladas, virtuais ou documentais, representam sua principal matéria-prima. A empresa licitante precisa processar diversos pedidos, como solicitações de informações, compra de editais, consultoria jurídica, análise de custos, fianças ou seguros como garantias, processar pagamentos, preparar documentos e propostas.

Armazenagem e estoque. Além de ter que gerenciar um grande volume de informações e documentos, a guarda destes dados e materiais também precisa ser organizada. Sinteticamente, deve-se perguntar: “Como e onde vamos guardar as informações sobre as licitações, documentos e propostas? Qual a quantidade de certidões, por exemplo, que devemos ter em ‘estoque’  já autenticadas, para evitar a falta desde documento quando necessário? Papéis, envelopes e outros suprimentos necessários, onde, como e quanto estocá-los? Como controlar este processo?”. Deve-se levar em conta também um “estoque” ou reserva financeira para gerenciar possíveis perdas ou atrasos de recebidos. Da mesma forma que em uma empresa industrial, o excesso ou da falta de estoque gera um custo que pode comprometer a lucratividade e níveis de atendimento, por isso precisa ser gerenciado com eficácia para identificar o melhor nível de estoque e reduzir custos.

Transporte. Em licitações, o fluxo de transporte é intenso. A distribuição de informações, documentos, materiais, deslocamento de pessoas, fazem parte do processo licitatório. Um dos maiores custos para as empresas licitantes consiste no deslocamento externo de funcionários e representantes para a retirada de documentos, compra de editais, visitas, entrega de propostas e representação em certames. A empresa precisa identificar e definir estratégias de transporte adequadas à sua necessidade, para diminuir custo, riscos de deslocamentos, tempo de atendimento, de modo a permitir sua participação em licitações com mais competitividade.

Conclusão. Percebe-se que a logística é bem presente nas licitações. Os tópicos apresentados estão relacionados ao processo de participação na licitação, contemplando o fluxo de pessoas, informações e materiais, mas da mesma forma, a empresa licitante deve considerar também o planejamento logístico para se preparar diante da possível homologação da licitação, quando deverá entregar os produtos e/ou serviços licitados, passando pelas mesmas atividades logísticas.

Diferentemente do mercado privado, de um modo geral o mercado de licitações não permite negociações de preços com o setor publico, e cada detalhe de custo é importante e fator decisivo entre ganhar ou perder uma licitação.

Da mesma forma que a falha no planejamento logístico pode comprometer a distribuição de produtos e a perda de vendas para uma indústria, o mesmo acontece em licitações. Ações de inteligência logística são fundamentais para minimizar riscos, reduzir custos e promover a participação em licitações de forma efetiva.

Portanto, ao gerenciar a logística e os custos para participar de uma licitação, deve-se fazer a seguinte reflexão: “Não é quanto custa participar da licitação, mas qual o custo de não participar. Pois se sua empresa não estiver lá, o seu concorrente estará”.

Francisco S. Machado - Diretor de Atendimento e Serviços da Edittal.com

–> Clique aqui para saber mais como podemos ajudar sua empresa.

3 Comments

  1. Clair de Oliveira

    Olá Francisco. Concordo com o Elias pois seu artigo é interessante não apenas para as empresas que pretendam participar de licitações, mas também para os agentes públicos que atuam em licitações. As questões apontadas sempre devem estar estabelecidas no termo de referencia pois oneram a proposta. Destaco que essa necessidade existe em qualquer modalidade de licitação (inclusive o pregão) mas como o advento do Decreto Estadual (SP) nº 56.565, de 2010 essa necessidade ficou mais evidente pois poderá significar pontuação para a qualificação da proposta técnica (logística).

  2. Elisa Barros Horsth

    Olá Francisco. Muito interessante a sua abordagem. Ao comentário “Não é quanto custa participar da licitação, mas qual o custo de não participar. Pois se sua empresa não estiver lá, seu concorrente estará”, acrescento o custo de participar sem orientação técnica, comportamento que tem sido recorrente nas oportunidades em que estivemos presentes às reuniões.

    Não raro ouvimos comentários como “Já tenho experiência com licitação”; “eu mesmo inclui os documentos e lacrei os envelopes. Tive bons professores” ou algo do tipo. Ou seja, o licitante põe em risco sua participação por repetir orientações anteriores sem se atentar para as nuances do próprio procedimento ou das consequencias desta relação com o Estado.

  3. Luana Lucena

    Ótima abordagem sobre o tema! Em complemento aos comentários, não só orienta as empresas que estão iniciando suas atividades em licitações como dá uma percepção logística aos gestores que, muitas vezes, não percebem a importância que isso representa nos custos do próprio departamento de licitações e a empresa!!

Leave a Comment

*